10 perguntas sobre lombalgia

1 – O que é lombalgia?

É uma dor na região lombar, ou seja, na região mais baixa da coluna perto da bacia. É também conhecida como “lumbago”, dor lombar, “dor nas costas”, “dor nos rins”, dorsalgia ou “dor nos quartos”. Não é uma doença. Algumas vezes a dor se irradia para as pernas com ou sem dormência.

Para se ter uma ideia do quanto a dor lombar é comum, basta atentar para o fato de que essa é a segunda maior queixa médica em todo o mundo, perdendo apenas para o resfriado comum.

Saiba mais sobre a lombalgia >

lombalgia

2 – O que causa a lombagia?

Comumente o problema é postural, isto é, causado por uma má posição para sentar, para se deitar, para se abaixar no chão ou para carregar algum objeto pesado. Outras vezes pode ser causada por inflamação, infecção, hérnia de disco, escorregamento de vértebra, artrose (processo degenerativo de uma articulação) e até emocional.

Apesar das possíveis origens da lombalgia serem diversas, sua incidência costuma ser maior em pessoas que exercem tarefas com grande sobrecarga física (e, muitas vezes, em posturas incorretas), pessoas que permanecem longos períodos na posição sentada ou na posição de pé, indivíduos com pouca mobilidade ou estabilidade corporal (o que acaba causando limitações na maioria dos movimentos diários, sobrecarregando a coluna) e em pessoas sedentárias.

Saiba mais sobre postura no trabalho >

3 – Como é a lombalgia?

A forma aguda é o “mau jeito”. A dor é forte e aparece subitamente depois de um esforço físico. Ocorre na população mais jovem. A forma crônica geralmente acontece entre os mais velhos; a dor não é tão intensa, porém é quase permanente.

4 – É importante fazer exames como a ressonância magnética?

Não. Mais de 90% das vezes o diagnóstico e a causa são estabelecidos com uma boa conversa com o paciente e com um exame clínico. Em caso de dúvida, o passo seguinte é a radiografia simples.

5 – Faz a densitometria óssea?

É um exame usado em osteoporose, porém osteoporose não provoca dor. O que dói é a fratura espontânea de uma vértebra enfraquecida pela osteoporose. Portanto, na maioria das vezes, a densitometria não é necessária nos casos de lombalgia.

Saiba mais sobre a osteoporose >

6 – Ginástica faz bem?

Exercício físico é um excelente aliado da saúde, mas durante as crise aguda o exercício é totalmente contra-indicado. Para recuperação, é recomendado repouso absoluto, deitado na cama. Uma alternativa é deitar de lado em posição fetal (com as pernas encolhidas). Está indicado tratamento com fisioterapia.

músculo multifido

Independente de sua causa, a dor está normalmente associada à incapacidade de estabilizar a coluna lombar, por falta de controle dos músculos profundos do tronco, especialmente o multifido lombar e o transverso do abdômen. Sem a ativação correta dos estabilizadores profundos do tronco, as recidivas do quadro álgico são notadas com muita frequência.

Exercícios para fortalecimento da coluna >

7 – Que remédios são indicados na crise de lombalgia aguda?

Prescrito adequadamente por um médico ortopedista, os analgésicos e os anti-inflamatórios podem ser usados. Sedativos e relaxantes musculares são úteis para ajudar a manter o paciente em repouso no leito. Nota-se que, quanto mais bem feito o repouso, menos medicamentos são necessários.

8 – Hérnia de disco tem de ser operada?

Não. Quase todos os casos regridem com repouso no leito, sem necessidade de cirurgia. Assim, a hérnia murcha e deixa de comprimir estruturas importantes, como os nervos. O tratamento cirúrgico está indicado apenas nos 10% dos casos em que a crise não passa entre 3 a 6 semanas, ou em pacientes que têm crises repetidas em curto espaço de tempo ou quando existem alterações esfincterianas (perda de controle para urinar e defecar).

Tratamentos minimamente invasivos para afecções da coluna >

9 – Como evitar que uma lombalgia aguda se torne crônica?

Muitos fatores são importantes. A correção postural, principalmente na maneira de sentar no trabalho e na escola. Na fase aguda a ginástica não é indicada, porém, após o final da crise, a prática regular de exercícios físicos apropriados é importante.  Quando fizer exercício com pesos na ginástica, proteja a coluna deitando ou sentando com apoio nas costas. Sempre evitar carregar peso. Não permanecer curvado por muito tempo. Quando se abaixar no chão deve-se dobrar os joelhos e não dobrar a coluna. Evitar usar colchão mole demais ou excessivamente duro, principalmente se o indivíduo é muito magro.

10 – Lombalgia não é só por excesso de esforço?

Não. O sintoma também pode ser sinal de sedentarismo ou falta de treino.

É preciso realizar um programa de atividade física preventivo, recomenda-se realizar exercícios gerais que visem à boa forma e trabalhem o corpo de forma íntegra, buscando fortalecer grupos musculares de apoio (tronco). No treinamento funcional, o foco está na qualidade dos movimentos e nas funções que a pessoa desempenha no seu dia a dia, tais como: agachar, subir, descer, puxar, empurrar e girar.

Referências

A influência do sedentarismo na prevalência de lombalgia
Lombalgia ocupacional

Compartilhe a informação
Coluna-Brasília
Coluna-Brasília

Clínica Salus Ortopedia, Fisioterapia e Acupuntura em Brasília-DF, atua principalmente no tratamento da dor e afecções da coluna. Preconizamos o tratamento conservador e medidas sem cirurgia com enfoque na reabilitação muscular e postural, através de protocolos exclusivos. Temos médicos e fisioterapeutas especialistas.

No Comments

Escreva uma Mensagem ou Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *